O que é Biocombustível?

Enquanto a maioria dos combustíveis de escala comercial utilizados no planeta possuem origem fóssil, o biocombustível é uma solução ecológica encontrada para a questão da poluição e degradação ambiental para extração de matéria prima.

A necessidade do biocombustível surgiu em função da incerteza da disponibilidade destes combustíveis fósseis (derivados do petróleo ou gás natural, principalmente).

Embora todo material orgânico seja, naturalmente, uma fonte de energia – pode-se ter como exemplo a madeira utilizada como lenha – o biocombustível é a utilização de material orgânico (em especial, o vegetal) em escala comercial, renovável e adaptável às tecnologias já existentes de consumo de combustível.

Muitas pessoas nem percebem que a utilização de biocombustível já é algo comum e, provavelmente, regular em suas vidas, e este tipo de desinformação gera uma série de preconceitos e concepções erradas sobre o material. Entenda mais sobre o assunto e suas principais características:

Principais Tipos de Biocombustível

Existem diversos tipos de biocombustível, mas alguns deles destacam-se por já serem largamente utilizados:

Biodiesel

O biodiesel é obtido a partir de gorduras vegetais ou animais, e convertido em combustível para motores de ignição por compressão (motores a diesel).  Sua principal vantagem é poder substituir o diesel de petróleo e ser biodegradável, não apresentando enxofre em sua composição.

No Brasil, a maior parte do biodiesel é produzido a partir de soja, mas algodão e girassol também são bastante utilizados ao redor do mundo como matéria prima para sua produção.

Etanol

Talvez você nunca tenha refletido sobre isso, mas o etanol é uma forma extremamente popular de biocombustível. O álcool etílico, que pode ser comprado para acender fogo, ou incorporado em produtos de limpeza, higiene pessoal e, até mesmo, em bebidas alcoólicas, é – também – um biocombustível.

No Brasil, quase toda sua produção – que é bastante incentivada por meio de subsídios públicos – vem da cana-de-açúcar, e sua utilização é massiva. A maioria dos carros destinados ao mercado nacional, hoje, apresentam motor flex – que aceita tanto a gasolina, quanto o etanol. Em outros países, é comum ver o etanol sendo produzido a partir do milho, ou de cereais diversos.

Bioquerosene

A importância e o gigantesco mercado de petróleo que existe hoje, ao redor de todo o mundo, iniciou em função de, praticamente, um único produto: o querosene. De sua expansão comercial, ainda no século XIX, como combustível para geração de iluminação durante as noites, até os dias atuais, onde seu uso quase se resume a combustíveis de avião, houve uma série de mudanças.

Uma delas, é a criação do bioquerosene, que utiliza matérias orgânicas para substituir o clássico derivado do petróleo, sendo substituto viável de combustível de aviões.

Biomassa

A biomassa não representa, necessariamente um tipo específico de combustível. Na verdade, “biomassa” é o nome dado a materiais orgânicos que possam ser aproveitados como biocombustíveis de diversas formas.

A biomassa pode ser formada por praticamente qualquer matéria ou resto de matéria vegetal, e ainda dejetos animais (incluindo dejetos humanos) e o lixo urbano. Isto significa poder gerar energia combustível a partir do que geralmente é descartado e gera poluição e emissão de gases poluentes – ou seja: além de dar utilidade ao que seria descartado, previne que este material aumente os níveis de poluição terrestres.

Talvez você também goste dos artigos abaixo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *