Telhas fotovoltaicas: conheça a autogeração discreta

As telhas fotovoltaicas estão chamando atenção cada vez maior de um grande setor da construção civil e energética: empreiteiros, arquitetos, eletricistas e projetistas de modelos sustentáveis de habitação demonstram-se cada vez mais entusiasmados com a ideia de geração de energia através do sol, sem os exageros que eram necessários até então.

As primeiras telhas fotovoltaicas foram desenvolvidas por equipes portuguesas e logo tornaram-se projetos cada vez mais sofisticados e inteligentes ao redor do mundo, gerando bastante entusiasmo entre os especialistas da área.

Se você ainda não sabe o que são ou gostaria de conhecer melhor as telhas fotovoltaicas, confira este guia básico sobre a tecnologia que promete revolucionar a autogeração de maneira definitiva – mas discreta:

O que são telhas fotovoltaicas?

telhafotovoltaica-interna

Telhas fotovoltaicas são, na prática, telhas comuns agregadas de pequenos painéis fotovoltaicos que são instalados diretamente sobre elas, e com a parte da instalação elétrica funcionando abaixo da telha (geralmente, junto às vigas de madeira que suportarão o telhado).

Embora a utilização de placas fotovoltaicas não seja uma novidade no mundo de geração de energia para residências, o ponto revolucionário do produto está na possibilidade de realizar esta geração através de telhas discretas, sem a necessidade interferência na fachada da casa ou a construção de grandes estruturas de suporte para sustentar os painéis, como é necessário no caso de placas tradicionais.

Diferenças entre telhas fotovoltaicas e painéis solares

paineis-solares

Os painéis solares já são bastante comuns nas residências que buscam a autogeração energética. Geralmente, são grandes placas pretas instaladas sobre o telhado, bastante visíveis e exigindo uma estrutura significativamente preparada para aguentar todo o peso instalado.

Já as telhas fotovoltaicas, por serem distribuídas diretamente sobre as telhas da casa e integradas individualmente à elas, não oferecem um grande peso nem aparecem muito, ao contrário das grandes placas que são conhecidas atualmente no mercado, por não serem estruturas paralelas montadas sobre o telhado.

Por serem mais discretas e segmentadas e, portanto, de produção mais complicada, as telhas fotovoltaicas são um pouco mais caras dos que os painéis tradicionais. No entanto, exigem preparação e instalação mais simples, além de oferecerem um valor estético maior, agregado à elas.

Autogeração no Brasil

Atualmente, o Brasil possui uma política bastante dinâmica em relação à autogeração energética. O país permite que sejam instaladas pequenas plantas residenciais e em empresas que – além de poderem fornecer a energia para o imóvel, podem funcionar como crédito energético para horas em que a planta não estiver gerando energia, caso alguma quantidade energética tenha sido enviada para a rede, ao invés de consumida.

O mercado para as telhas fotovoltaicas

As telhas fotovoltaicas definitivamente possuem um grande problema no mercado mundial: seus fabricantes não conseguem atender à demanda do mercado global, que buscam um produto capaz de gerar energia de maneira sustentável e integrada à casa e ao seu design, sem a necessidade de exposição de gigantescos painéis solares.

Em função desta grande demanda, instalar telhas fotovoltaicas em uma estrutura com mesmo potencial de geração de painéis fotovoltaicos tende a ser mais caro. É necessário levar em consideração, no entanto, que a instalação das telhas não exige a instalação de uma grande estrutura de suporte – apenas a substituição das telhas atuais pelos modelos com as placas, e a instalação elétrica que ocorre sob estas telhas.

Talvez você também goste dos artigos abaixo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *